• Agentes de Carga – Pessoa física ou jurídica que providencia o transporte internacional de carga de terceiros mediante remuneração, normalmente um percentual sobre o valor do frete pago adicionado às despesas. Atua geralmente por conta e ordem do embarcador.
  • B3 – Brasil, Bolsa, Balcão S.A. (antiga Bovespa), Bolsa de Valores de São Paulo.
  • BNDES – Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social.
  • CAGRCompound Annual Growth Rate: é a taxa composta de crescimento anual média de um determinado período.
  • CLIA – Centro Logístico Industrial Aduaneiro.
  • CODESP – Companhia Docas do Estado de São Paulo, autoridade portuária.
  • Contrato de Arrendamento – Contrato celebrado entre a autoridade portuária e a Companhia para exploração de um terminal de contêineres ou veículos.
  • CVM – Comissão de Valores Mobiliários.
  • Dwell Time – Tempo médio de permanência (armazenagem) de um determinado volume de contêineres ou veículos.
  • EBITDA – Earnings Before Interest, Taxes, Depreciation and Amortization. Refere-se ao lucro operacional antes do resultado financeiro, imposto de renda e contribuição social, depreciações e amortizações.
  • FINAME – Modalidade de financiamento do BNDES para compra de Máquinas e Equipamentos.
  • FINEM – Financiamento de Empreendimentos, modalidade de financiamento do BNDES para realização de projetos de implantação, expansão e modernização.
  • Índice de Retenção – Percentual de contêineres cheios desembarcados que permanecem na Companhia para a prestação de outros serviços logísticos (ex: armazenagem).
  • IPO – Initial Public Offering, oferta pública inicial de ações.
  • ISSQN – Imposto sobre serviços de qualquer natureza.
  • MHC – Mobile Harbour Crane, Guindaste Portuário Móvel. Equipamento que, além de movimentar contêineres na área de cais, é comumente utilizado no manuseio de cargas de projeto, cargas gerais e granéis.
  • MMC – Movimentação Mínima Contratual.
  • MPH – Movimentos por hora. Indicador de produtividade que indica o número de movimentações de contêineres por hora de um terminal, de um equipamento ou da operação de um navio.
  • NVOCC – Non-Vessel Operating Common Carrier. Empresas consolidadoras de carga que não possuem navios próprios e que compram espaço nos navios dos armadores para embarcar a carga de seus clientes.
  • OCR – Optical Character Recognition, sistema de reconhecimento óptico de caracteres, utilizado para reconhecimento de contêineres e placas de veículos que transitam no terminal.
  • PDD – Provisão para Crédito de Devedores Duvidosos.
  • Reach Stacker – Veículo utilizado na movimentação e transporte de contêineres em trajetos curtos dentro do terminal portuário.
  • RMG – Rail Mounted Gantry, guindastes de pátio que rodam sobre trilhos.
  • RTG – Rubber Tyred Gantry, guindastes de pátio montados sobre pneus e que rodam sobre caminhos ou vias reforçados.
  • STSShip-to-shore crane, equipamento de cais também conhecido como portêiner utilizado para embarcar e desembarcar contêineres dos navios através de uma estrutura de ponte levadiça projetada sobre o navio que contém uma plataforma móvel chamada spreader.
  • Tag Along – Mecanismo de proteção a acionistas minoritários que os possibilita alienar suas ações a um novo controlador por ocasião da transferência do controle da companhia aberta em questão.
  • Terminal Tractor – Veículos semelhantes aos caminhões, porém desenvolvidos especificamente para a operação dentro da área portuária, atuando na remoção de contêineres do cais para a retroárea e vice-versa.
  • TEU ou TEUs – Twenty-Foot Equivalent Unit, principal unidade padrão de medida para os contêineres no comércio marítimo, que corresponde a um contêiner padrão de vinte pés de comprimento.
  • TEV – Terminal de Veículos da Santos Brasil, localizado no Porto de Santos em área contígua ao TECON 1, autorizada a exploração pela Companhia, por meio do Termo de Permissão de Uso – TPU, emitido pela CODESP.
  • TRAs – Terminais Retroportuários Alfandegados, também chamados de Portos Secos, são terminais situados em zona contígua à área de porto organizado ou instalação portuária, sem acesso direto a um berço.
  • TUP ou Taxa Canal – Taxa de utilização de infraestrutura portuária devida à CODESP, incidente sobre os contêineres cheios embarcados ou desembarcados.

voltar

topo